­

Interceder é buscar o interesse de outro, eventualmente até em detrimento do interesse próprio. Ato ou efeito de exercer influência em determinada situação na tentativa de alterar o seu resultado. É a pessoa que paga uma dívida que não era sua, ou que conversa com o líder de outro para aliviar uma punição, ou até mesmo quem fala com o juiz para reduzir uma pena ou atenuar uma culpa – essa pessoa é o intercessor. Já vi a mãe interceder em favor do filho levado junto ao pai severo, para que não exagere na punição. Já vi pastores intercedendo junto ao marido para que perdoe a esposa e vice-versa.

No contexto de igreja contemporânea, costumamos chamar de intercessores as pessoas que se dedicam à oração. Ainda que não esteja necessariamente errado é uma verdade incompleta, pois interceder é muito mais do que orar e orar é muito mais do que “somente” seja o que for. Intercessão nesse contexto deve ser uma dedicação de combate, de luta, de guerra – nunca em favor de si mesmo mas de outros. Interceder junto a Deus, em nome do Filho e na unção do Espírito Santo – isso muda a história. Podemos e devemos interceder pelos nossos líderes, pastores, ovelhas, discípulos, amigos, parentes, familiares, colegas. Não adianta interceder pelos mortos (tema polêmico), não adianta pedir salvação (é individual e pessoal), não adianta interceder por si mesmo (nem é intercessão). MAS adianta interceder sim, adianta orar sim.

Jesus de Nazaré, Filho de Deus em totalidade de essência e Espírito, morreu em nosso lugar e, por isso, por este único motivo, pode exercer influência em nosso favor – interceder. Ele e somente Ele tem essa prerrogativa, pois biblicamente falando não temos qualquer outro personagem que reúna suas características. Ainda que outro(s) tenham morrido da forma que for, mesmo que dando sua vida em favor de outros, somente Jesus é relatado nas Sagradas Escrituras como Filho de Deus, desprovido de qualquer tipo ou forma de pecado, totalmente ungido por Deus.

Isso significa que Jesus é muito mais do que nosso fiador quando formos prestar contas diante do Pai. Ele vai “falar bem da gente” para o Juiz Todo Poderoso, cujo trono está fundamentado em justiça e juízo (Salmos 89:14). Ou seja, numa linguagem bem popular e simples, Jesus além de pagar nossa conta ainda vai quebrar o galho com o credor. Só Ele mesmo. Lembremos que justiça consiste em dar a cada um o que é merecido/devido, o que no meu caso seria simplesmente o inferno.

Quanto mais eu estudo esses assuntos e mais me aprofundo no entendimento do que Jesus fez naquela cruz, mais fico impressionado e agradecido. É fascinante não ter o que dizer a alguém pelo tanto que fez por mim. Só me resta agradecer, me curvar e ceder à Sua vontade devolvendo a Ele o que me deu – tudo. Minha vida – tudo.

Fonte: ichtus.com.br
Autor: Mario Fernandez
­